quarta-feira, 17 julho, 2024
Home2022Chacina de Unaí: Justiça marca para 10 de maio novo julgamento do...

Chacina de Unaí: Justiça marca para 10 de maio novo julgamento do réu Antério Mânica

Por Lourdes Marinho/Edição: Andrea Bochi

A Justiça Federal de Belo Horizonte acaba de marcar para 10 de maio, às 8h30, o novo julgamento, pelo Tribunal do Júri, do réu Antério Mânica, acusado de ser um dos mandantes da Chacina de Unaí. As oitivas serão realizadas no formato presencial.

A audiência pública para sorteio dos jurados será dia 19 de abril, às 14h. O prazo para juntada de documentos novos ou objetos para que possam ser apresentados ao Tribunal do Júri é dia 5 de maio, até o fim do expediente forense.

Apesar de, em 2015, ter sido condenado a cem anos de prisão pela Justiça Federal em Belo Horizonte, Antério teve o julgamento anulado em 2018 pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), depois que seu irmão, Norberto Mânica, réu confesso e também condenado por orquestrar a chacina, registrou em cartório uma carta assumindo ser o único mandante do crime.

“O Tribunal do Júri poderá condenar novamente o réu Antério Mânica, assim como fez o primeiro júri, em razão das provas contundentes que constam de forma bem caracterizada no processo de acusação”, avalia a diretora do Sindicato Nacional dos Auditores-Ficais do Trabalho – Sinait Rosa Maria Campos Jorge.

A Chacina de Unaí completou 18 anos no dia 28 de janeiro. Nove pessoas foram indiciadas como mandantes, intermediários e executores do crime que vitimou os Auditores-Fiscais do Trabalho Eratóstenes de Almeida Gonsalves, João Batista Soares Lage e Nelson José da Silva, e o motorista do Ministério do Trabalho Ailton Pereira de Oliveira. Os servidores do Ministério do Trabalho faziam uma fiscalização considerada pela Delegacia Regional do Trabalho de Minas Gerais (hoje Superintendência) uma operação de rotina.

Confira aqui a linha do tempo da chacina com as informações sobre a situação de cada um dos réus.

Outas demandas judiciais

A Justiça Federal de Belo Horizonte também decidiu:

Indeferir a oitiva do corréu José Alberto de Castro, requerido pela defesa de Antério Mânica;

Acolher o requerimento ministerial referente à oitiva de testemunhas de forma presencial, bem como a exibição de documentos e objetos discriminados em plenário;

Indeferir a digitalização dos processos conexos e a sua inserção no PJe; e deferir o requerimento ministerial para disponibilização dos autos físicos dos processos conexos às partes durante o plenário do Tribunal do Júri.

Mobilização

O Sinait, os Auditores-Fiscais do Trabalho e as famílias das vítimas seguem lutando para colocar atrás das grades todos os réus e condenados por este crime, que chocou o Brasil e teve repercussão internacional.

Neste sentido, o Sindicato Nacional lançará nos próximos dias uma campanha nas redes sociais para mobilizar a categoria, familiares das vítimas e sociedade para o julgamento.

“Só iremos sossegar quando todos os culpados estiverem atrás das grades, cumprindo suas penas”, finaliza o presidente do Sinait, Bob Machado.

RELATED ARTICLES

Mais Vistos