sexta-feira, 17 maio, 2024
Home2022Dia 28 de abril é dedicado para lembrar das vítimas de acidentes...

Dia 28 de abril é dedicado para lembrar das vítimas de acidentes de trabalho

Por Andrea Bochi e Solange Nunes

Em 2022, no dia 28 de abril, o Sinait reitera o compromisso com a prevenção e a proteção em prol de um ambiente seguro para os trabalhadores e os cidadãos brasileiros. Em função disso, relembra que a data marca o Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidente de Trabalho e o Dia Mundial de Segurança e Saúde do Trabalho, instituída no Brasil pela Lei 11.121/2005, e tem como objetivo provocar na sociedade uma reflexão sobre a necessidade da segurança e saúde para o trabalhador.

Segundo dados do Observatório Digital de Segurança e Saúde no Trabalho, a cada 49 segundos ocorre um acidente de trabalho no Brasil, país que ocupa o 4º lugar mundial no ranking de acidentes laborais.

Nesta seara para garantir direitos, segurança e dignidade ao trabalhador, o Sindicato Nacional destaca que há muito trabalho a ser feito, já que os dados apontam que no ano de 2021, o Brasil registrou 571,8 mil acidentes de trabalho, o que equivale a uma média de 1.556 registros diários. Esses acidentes estão caracterizados por lesões, doenças, amputação de braço, dedos, entre outros traumas. Do total, 133.757 casos necessitaram de tratamento por período maior que 15 dias e 2.487 óbitos foram contabilizados. No caso dos trabalhadores informais, os acidentes alcançaram uma taxa de 40,2% no primeiro trimestre de 2022.

Bilhões de reais que poderiam ser direcionados para prevenção são gastos em pagamentos de benefícios e pensões aos acidentados e familiares, muitas vezes, em situações irreversíveis. Prevenir é muito mais barato e eficiente

É preciso lembrar ainda que, nos últimos dois anos, o Brasil e o mundo sofreram com a pandemia da Covid-19, que matou cerca de 700 mil pessoas, apenas no país. Entre tantos profissionais que perderam a vida, estão os Auditores-Fiscais do Trabalho e os profissionais da área de saúde, estes últimos, na linha de frente ao enfrentamento do coronavírus, foram contaminados e vieram à óbito em decorrência da Covid-19 durante o exercício profissional. A Inspeção do Trabalho, considerada atividade essencial, atuou durante a pandemia para garantir segurança, nos ambientes de trabalho, aos trabalhadores que precisaram manter as atividades presenciais.

As mortes entre profissionais da saúde também aumentaram em 2020 e 2021. O Brasil registrou a morte de 5.798 profissionais de saúde, como, técnicas e técnicos de enfermagem, enfermeiras e enfermeiros, médicas e médicos, de março de 2020 até fevereiro de 2021. Destas mortes, 1.411 foram por Covid-19 – das quais 929 ocorreram em 2020 e outras 482 ocorreram nos dois primeiros meses de 2021. Trata-se de um aumento de 25,9% em relação ao mesmo período de 2019, quando houve 3.571 mortes. A alta é consequência direta dos desafios enfrentados por esses trabalhadores no combate à pandemia da Covid-19. Esses dados foram compilados pela Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil).

De acordo com o presidente do Sinait, Bob Machado, um Estado forte, possui uma Fiscalização do Trabalho fortalecida e valorizada. “Atuamos, entre outras prerrogativas da carreira, na área de segurança e saúde que é de extrema importância para a prevenção de acidentes e doenças nos ambientes de trabalho. Os Auditores-Fiscais do Trabalho buscam garantir trabalho seguro a todos os trabalhadores brasileiros”.

É por isso, continua, “que o Sindicato Nacional lembra a data e reitera a preocupação e o compromisso em atuar em prol da saúde e segurança dos trabalhadores e cidadãos brasileiros”, finaliza Bob Machado.

O SINAIT rende homenagens às mais de 571,8 mil vítimas anuais de acidentes e doenças no trabalho e à memória dos que perderam a vida em razão da negligência com a segurança nos ambientes de trabalho, da falta de investimento e de cumprimento da legislação.

RELATED ARTICLES

Mais Vistos