Em primeiro ato público do ano, Sinait e mais 40 categorias pedem reposição das perdas inflacionárias

0
389

Por Solange Nunes/Edição: Lourdes Marinho

Em primeiro ato público do ano, Sinait e mais de 40 categorias de servidores públicos, com apoio de parlamentares, reivindicaram a abertura de negociação com o governo federal para tratar da reposição das perdas inflacionárias dos últimos anos. As reivindicações foram divididas em duas mobilizações, uma pela manhã, em frente ao Banco Central, e a outra, no período da tarde, em frente ao Ministério da Economia, na Esplanada dos Ministérios, ambas na capital Federal, nesta terça-feira, 18 de janeiro.

Durante a manifestação no período da tarde, as entidades vinculadas ao Fonacate protocolaram um documento com reivindicações das categorias de servidores públicos ao Ministério da Economia. Veja o documento aqui.

De acordo com o presidente do Sinait, Bob Machado, a união das categorias e o fortalecimento das manifestações em Brasília e nos estados são de fundamental importância para todos. “Estamos lutando pelas reposições das perdas inflacionárias dos últimos anos com o conjunto dos servidores públicos. O momento de lutar é agora. Estamos há cinco anos sem reajustes.”

Rudinei Marques, presidente do Fórum Nacional das Carreiras Típicas de Estado (Fonacate), disse que é importante a união de todos os servidores públicos. “Não podemos aceitar a destruição do serviço público. Hoje é um dia histórico em que os trabalhadores voltam às ruas contra o desmonte do serviço público”.

Os deputados federais Erika Kokay (PT/DF) e Professor Israel Batista (PV/DF), presidente da Frente Servir Brasil, participaram da mobilização dos servidores públicos, e apoiaram os pleitos das categorias.

São mais de 40 categorias, representando cerca de 200 mil servidores públicos, pedindo reajuste de 19,99%, referente ao percentual inflacionário de três anos do atual governo.

Além da busca de abertura de diálogo para reposição inflacionária junto ao governo federal, os servidores públicos também atuam pelo envolvimento de todos os representantes das carreiras dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário nesta luta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Digite seu nome