Alto volume de afastamentos gera autuações na Whirlpool

0
747

Uma fiscalização do Ministério do Trabalho resultou em 44 autos de infração à Whirlpool, de Rio Claro, no mês de abril. O órgão esteve na empresa entre junho e dezembro do ano passado, devido a denúncias relacionadas ao grande número de afastamentos médicos entre janeiro de 2015 e junho de 2017.

No local, a equipe de 5 auditores fiscais constatou a falta de gerenciamento sobre risco de acidentes, e de doenças do trabalho. O grupo focou sua análise em questões como ergonomia e saúde ocupacional.

Foi observado grande número de tarefas manuais, com movimento repetitivo, envolvendo ritmo de trabalho, uso de força, posturas prejudiciais, equipamentos inadequados, deficiências na concessão de rodízio e pausas, além de movimentação manual de volumes e peso consideráveis, dentre outros fatores, que contrariavam o disposto nas normas regulamentadoras”, apontou o coordenador da equipe de auditores, Fernando da Silva.

Ele também citou “desconformidades relacionadas à gestão da saúde ocupacional dos trabalhadores”.  “As irregularidades encontradas conflitam com disposições previstas na NR-17 e NR-7, demonstrando deficiências no gerenciamento da prevenção de agravos à saúde dos trabalhadores. Estas situações acabam por gerar afastamentos, lesões e doenças ocupacionais”, disse.

Segundo a equipe de auditores, a Whirlpool de Rio Claro deixou de emitir, ainda de janeiro de 2015 a junho de 2017, 450 CATs (Comunicação de Acidente do Trabalho). Além disso, a empresa também apresentou irregularidades relacionadas à jornada, descanso e embaraço à fiscalização do trabalho.

 

EMPRESA GRANDE

De acordo com o auditor, a situação na Whirlpool retrata a necessidade de atuação da auditoria fiscal do Trabalho no setor, haja vista a série de irregularidades encontradas. “O Projeto Ergonomia da Superintendência Regional do Trabalho no Estado de São Paulo tem o objetivo de intensificar as fiscalizações relacionadas à ergonomia”, pontuou Silva.

A empresa, que produz fogões e lavadoras de roupas de marcas como Brastemp e Consul, conta com mais de 3 mil empregados em Rio Claro. “Uma situação como esta, encontrada numa empresa tão grande, é uma prova cabal da importância do trabalho da Inspeção”, apontou o presidente da Delegacia Sindical do Sinait-SP (Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho), Rodrigo Iquegami. A fiscalização alcançou também 453 trabalhadores contratados como temporários, e 529 trabalhadores terceirizados.

 

RELAÇÃO DOS AUTOS DE INFRAÇÃO NA WHIRLPOOL

 

– Não apresentação de documentos e esclarecimentos à fiscalização: 2 autos de infração.

– Jornada e descanso: 4 autos

– NR 4 (Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho): 2 autos

– NR-6 (Equipamento de Proteção Individual – EPI): 1 auto

– NR 7 (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional – PCMSO): 7 autos

– NR-9 (Programa de Prevenção de Riscos Ambientais – PPRA) 8 autos

– NR-10 (Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade): 3 autos

– NR-13 (Vasos de Pressão e Tubulação): 3 autos

– NR 16 (Atividades e Operações Perigosas): 1 auto

– NR-17 (Ergonomia): 11 autos

– NR 33 (Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços Confinados): 1 auto

– NR-35 (Trabalho em Altura): 1 auto

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Digite seu nome